História

Cachaças Especiais e Premiadas

História

Conheça nossa História

A história da Destom começou com desafios que se transformaram em soluções!

Nossa região temos verões chuvosos e invernos secos e o desafio seria aumentar o número de vacas por hectare, sem a necessidade de aumento de área de pastagem, sendo que o número máximo de animais é determinado pela capacidade dos pastos na seca.

Esta foi a semente do projeto inicial da Destom e tudo em nome da otimização dos manejos com o foco na sustentabilidade!

Com as mudanças drásticas do clima em que os períodos de seca e chuva tem se tornado instáveis, foi montada uma estratégia utilizando a cana como reserva energética para o caso de extensão dos períodos de seca. Isso viabiliza o aumento do número de animais por unidade de área de pastagem.

Daí foi um pulo para montarmos a destilaria e fecharmos o ciclo de sustentabilidade na fazenda, neste consórcio entre gado de corte, cana e cachaça.

Começamos o projeto da destilaria em 2014 e, como tudo que fazemos, sempre buscamos excelência. Decidimos, então criar uma destilaria modelo, de alta tecnologia, pois isso está em nosso DNA.

Durante a produção da cachaça, todo o processo foi adaptado para o bagaço servir às vacas. Esse bagaço, ainda com sacarose remanescente e tamanho adequado, é misturado à vinhaça fresca e também a outros nutrientes para compor uma ração nutritiva a ser servida aos animais. Assim, eles podem passar o período de seca com toda nutrição necessária.

O restante da vinhaça é levado às pastagens – diluído em água e com acidez neutralizada e ao canavial, como adubação rica em potássio e fechando o ciclo dos resíduos da destilação. O mesmo acontece com o estrume do gado, que também é aplicado para repor nutrientes.

Nossa destilaria hoje é referência em tecnologia, aliando as antigas receitas de produção da cachaça mineira com avançados processos tecnológicos, capaz de reproduzir cachaça de alta qualidade em alto volume, mantendo as características de pequenas e tradicionais destilarias mineiras.

É um modelo de sustentabilidade e tecnologia pois nada se perde, o bagaço da cana é usado para alimentação do gado; a vinhaça na alimentação e como fertilizante para o canavial e pastagens; as frações de cabeça e calda são re-destiladas em coluna para produção de álcool combustível para uso nos carros da fazenda.